Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Prevenção das Dependências - Art of Counseling

Prevenção significa: Prevenir, Adiar e Reduzir os consumos de substâncias geradoras de abuso, dependência crónica, progressiva e fatal.

Prevenção das Dependências - Art of Counseling

Prevenção significa: Prevenir, Adiar e Reduzir os consumos de substâncias geradoras de abuso, dependência crónica, progressiva e fatal.

Uma Vida Desperdiçada É Demasiado

 

Sabemos há imenso tempo que os jovens portugueses, tal como a maioria dos jovens de outros países europeus, revelam uma predisposição e uma vulnerabilidade acentuada quanto ao fenómeno do consumo e abuso de bebidas alcoólicas (Binge Drinking – Consumir bebidas alcoólicas com o intuito de ficar intoxicado/embriagado), com idades entre os 13 e os 18 anos.

 

Sabemos das consequências para a saúde física e mental, assim como familiar e social.

 

Creio que em menor escala, mas paralelamente, emerge outro fenómeno relacionado com o consumo e abuso de substancias psicoactivas, licitas e/ou ilícitas (drogas). Em Portugal, existe um número preocupante de jovens em risco, cuja tendência pode aumentar nos próximos anos.

 

Será o consumo e abuso de bebidas alcoólicas considerado ritual tolerado, de acordo com a nossa cultura, para a transição entre a adolescência e a idade adulta? Aceitamos este ritual, impotentes e sem respostas concretas e eficazes para abordar os perigos e riscos, deste fenómeno, na relação com os nossos filhos? Será que como pais, em particular e sociedade em geral, negligenciamos medidas urgentes e preventivas relacionadas com esta realidade? Em Portugal, quais as instituições que investigam este tipo de fenómeno e se preocupam em informar o publico em geral?

 

Dada a relevância e a evolução do fenómeno do Binge Drinking (consumir e abusar de bebidas alcoólicas com o intuito de ficar intoxicado/embriagado) entre os jovens é importante fazer esta pergunta. Quantas vidas perdidas são desperdiçadas e negligenciadas por causa do álcool?

 

 

O Binge Drinking e o Bullying são estrangeirismos de fenómenos estudados noutros países, adoptados por cá? Se são estudados noutros países porque é que não merecem a mesma atenção em Portugal? Por exemplo, a indústria poderosa e milionária do álcool consegue através das suas estratégias de marketing agressivo e publicidade “inundar” eventos e actividades, ligadas ao desporto, à semana académica e à música, onde a maioria dos intervenientes são jovens, adoptando o lema “retrógrado” e ineficaz “Seja responsável, Beba com moderação” descartando as suas responsabilidades, quando na realidade os resultados desta medida são praticamente nulos. Parece que convém que assim permaneça.

Em Portugal, a idade legal para consumo e abuso de bebidas alcoólicas é a partir dos 16 anos. Sabia que o processo de desenvolvimento do cérebro só se completa aos 25 anos? Sabia que o Binge Drinking pode afectar negativamente o desenvolvimento do cérebro dos jovens? Se a Ordem dos Médicos e a Ordem dos Advogados sabem deste fenómeno porque é que não interferem de uma forma zelosa e comprometida, neste domínio, tal como algumas suas congéneres estrangeiras?

 

O álcool é uma droga. Em Portugal, o alcoolismo é um problema de saúde pública. Quanto gasta o Estado na saúde? Existe a luta contra as drogas, porque é que no álcool a luta é as pessoas, apesar destas evidências?

Procurei no Google informação através das palavras – Jovens e o álcool. Imediatamente surge: “Jovens e o tabaco, Jovens e o desemprego, Jovens e o trabalho, jovens e o consumismo, Jovens e o dinheiro, etc”. Não aparece nenhum resultado sobre os jovens e o álcool.

O álcool e os jovens. Um único caso, um/a jovem, somente uma VIDA desperdiçada é demais.

 

Uma Vida desperdiçada é demasiado quando:

  • Se conduz sob o efeito do álcool.
  • Se adopta um comportamento de risco
  • Pessoas morrem por alcoolismo.
  • Famílias são destruídas pelo abuso de álcool.
  • O risco de cancro aumenta.
  • Existem vítimas de violência doméstica, de abuso, de homicídio relacionado com o álcool.
  • Uma vida é desperdiçada quando essa jovem está grávida.
  • Não se sabe que a ajuda/apoio está disponível.
  • Uma criança cresce numa família afectada pelo álcool e o alcoolismo.
  • Jovens perdem a vida relacionadas com o álcool.
  • Pessoas precisam de tratamento e não têm apoio e recursos.
  • As pessoas vão para a prisão em vez de serem reencaminhadas para tratamento.
  • Acontecem acidentes e outras pessoas inocentes são afectadas.
  • Quando as crianças nascem com o Síndrome Fetal Alcoólico (SFA).
  • Existem acidentes, quedas e incêndios relacionados com o álcool que envolve outras vítimas
  • Existem casos de suicídio relacionado com o álcool e o alcoolismo.
  • Existem casos onde as pessoas não pedem ajuda
  • Existem acidentes de condução sob a influência do álcool.
  • Existem inúmeros casos de absentismo laboral relacionado com o álcool
  • Ainda não existe a esperança de Recuperação
  • Ainda morrem jovens e adultos desta doença que é possível ser tratada.

Este fenómeno, ser um profissional e também ser pai, justificam a existência deste movimento expresso neste blogue. Se quiser responder às questões colocadas neste post pode fazê-lo, bem-haja.

 

O Mundo dos Adultos não é seguro para algumas crianças vulneraveis