Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Prevenção das Dependências - Art of Counseling

Prevenção significa: Prevenir, Adiar e Reduzir os consumos de substâncias geradoras de abuso, dependência crónica, progressiva e fatal.

Prevenção das Dependências - Art of Counseling

Prevenção significa: Prevenir, Adiar e Reduzir os consumos de substâncias geradoras de abuso, dependência crónica, progressiva e fatal.

Projecto DADUS



O projecto DADUS foi criado e desenvolvido pela Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) com o objectivo de apelar e educar os jovens utilizadores das novas tecnologias para questões prementes relacionados com uma utilização construtiva e saudável (ex. privacidade) promovendo direitos e responsabilidades. Abrange escolas e é direccionado aos alunos do segundo e terceiro ciclo.

Conforme podem constatar, no respectivo site, este projecto contempla varias temáticas, cujos conteúdos depois de serem abordados nas escolas podem servir para serem discutidos em casa, entre pais e filhos, e porque não com os próprios professores. Esta poderá ser uma forma divertida e construtiva de trocar ideias e gerar temas interessantes de debate há hora das refeições, ao fim de semana, a caminho da escola ou de casa, reuniões da escola, associações de pais e de jovens, etc. Na minha opinião, considero importante ouvir activamente, com redobrada atenção, o que o seu filho/a pensa e sente sobre este assunto, bem como os amigos dele/a pensam. Tal como é importante para o filho/a saber escutar o que os seus pais pensam e dizem. Os pais são uma referencia e orientação para os filhos.
Por ex. sabemos que a utilização da Internet por parte dos jovens, sem a supervisão dos pais ou adultos, pode constituir um grave risco, visto os jovens terem um acesso ilimitado a todo o tipo de informação e conteúdos.

Para ter acesso ao site basta clicar no endereço e usufruir de toda a informação. Já agora, podias divulgar o site junto de pessoas cuja informação poderá ser útil.

http://dadus.cnpd.pt/

Resiliência e Alcoolismo

O estudo da resiliência tem me apaixonado e motivado, quer seja na área profissional quer seja na área pessoal. Tenho acompanhado desde alguns anos este “fenómeno” tão interessante e potencial da raça humana, da capacidade de nos surpreender-mos (descoberta e conhecimento interior) e pela auto realização. Muitas das vezes encontramos “forças” onde jamais imaginaríamos possível.

Até recentemente, estudos revelavam que o impacto que pais que consumiam de drogas e ou álcool provocavam nas crianças era unicamente negativo, quer a curto e a longo prazo. Contudo a evidencia revela um padrão diferente no impacto neste tipo de problemas. “De uma maneira geral associava-se, com demasiado ênfase no passado, sérios riscos a filhos de pais que apresentavam problemas relacionados com o álcool quando estes atingissem a idade adulta, todavia a resiliência de tal associação/ligação tem sido menosprezada.” (Velleman & Templeton, 2003. Estudos revelam alguns factores que podem minimizar o impacto negativo de problemas relacionados com o álcool e com drogas. Parece que algumas crianças resilientes não desenvolvem problemas significativos, ou não desenvolvem problemas diferentes de crianças, cujos pais não apresentem comportamentos problema relacionados com o abuso de substancias, quer seja na fase da adolescência que seja na fase adulta; eles próprios desenvolvem as suas próprias famílias.

A resiliência pode ser encontrada num numero identificado de factores de protecção e dinâmicas (processo), que presentes podem ser um apoio benéfico para a criança ou o jovem. Podemos considerar factores de protecção a auto estima elevada e a auto confiança, eficácia pessoal, habilidade em gerir a mudança, apresentar um leque variado de competências capazes de resolver problemas, experiência previa de sucesso e auto-realização, tal como crescer numa família pequena, diferenças de idade significativas entre irmãos, separação reduzida durante o primeiro ano de vida da pessoa mais significativa (ex. mãe), laço/vinculo positivo e forte com pelo menos um adulto num papel protector (ex. pais, irmãos e avós), sistema de apoio positivo por detrás desta relação significativa e envolvimento numa variedade de actividades.

O processo do factor de protecção inclui redução no impacto de risco ( “falsificar” / dissipar o risco ou alterar a exposição a esse mesmo risco), redução na cadeia de reacções negativas, manutenção da auto estima e na eficácia pessoal, presença de oportunidades, bem como, competências, temperamento e valores individuais que contribuam para uma utilização eficiente das habilidades pessoais, estilo e características (combinação / referência) do papel dos pais, apoio de adultos significativos, oportunidades positivas em fases de transição da vida pessoal . Como é que a resiliência pode ser promovida e direccionada nas transições chaves da vida ou é em fases de desenvolvimento. Assim em termos de intervenção com crianças e ou jovens afectados por pais com problemas de consumo de substancias é importante que os profissionais, tenham em linha de conta, qual abordagem que melhor se adapta a cada caso, com base em factores de risco ou em factores de protecção; evidentemente esta abordagem irá claramente depender das circunstancias, todavia pode ser determinante permanecer atento a ambas abordagens.

A resiliência tem que ver com a capacidade de um indivíduo para ultrapassar os traumatismos e construir-se apesar das feridas. O funcionamento resiliente edifica-se através de um jogo complexo de processos defensivos de ordem intrapsíquica e de factores de protecçõo internos e externos. O estudo da resiliência vem completar o campo da psicologia clínica e da psicopatologia ao constituir um novo modelo fundado na abordagem do sujeito encarado na sua globalidade, com os seus recursos e os seus processos defensivos assim como com as suas fragilidades.

Estudo Sobre o Alcoolismo


Estudo
"Segundo o Jornal de Noticias na sua edição de 29 de Dezembro de 2007 publicou um artigo com base num estudo referindo que um baixo nível de endorfinas pode estar na base da predisposição para o alcoolismo crónico, afirmam investigadores da Universidade de Granada, depois de seguirem o caso de 200 famílias daquela zona de Espanha. O estudo provou que a falta desta substancia produzida pelo cérebro, e que actua como uma espécie de “morfina”, é hereditária.
A carência de beta-endorfina, que actua como uma espécie de analgésico, parece determinar a tendência para o alcoolismo. Isso foi verificado em duas centenas de famílias em que pelo menos, um dos pais é alcoólico e indica que além de outras influencias, existe uma base genética para esta dependência.


Ainda que esta possa não manifestar-se, os indivíduos com estas características manifestam maior susceptibilidade de adquirir a dependência. Para o estudo foram analisados também os níveis de beta-endorfina em crianças com idades compreendidas entre os seis meses e os dez anos. Os valores dos filhos de alcoólicos eram baixos".

Segundo o Wikipédia a Beta-endorfina é um neurotransmissor endógeno encontrado tanto nos neurônios do Sistema Nervoso Central quando nos do Sistema Nervoso Periférico. Seus efeitos principais ao ser lançado na corrente sanguínea (o que acontece por exemplo como consequência imediata de certos traumas físicos) são diminuição da sensação dolorosa, e facilitação de sensações de relaxamento e bem-estar.
Encontra-se nos neurônios do hipotálamo, bem como na glândula pituitária. Foi descoberta na década de 1970 pelo laboratório de Avram Goldstein e tem efeitos anestésicos e viciantes similares aos da morfina e da codeína, pois tem afinidade bioquímica com o mesmo tipo de neuroreceptor que estas.


Comentário: Nos últimos vinte anos tem-se verificado grandes avanços no estudo da neuro-biologia da adicção (álcool e drogas) para grande satisfação de todos os interessados. Estes avanços permitem-nos delinear medidas mais eficazes e fiáveis de prevenção e tratamento das dependências. Na área da prevenção, em especial, considero importante a aplicação deste trabalho junto das escolas, famílias e crianças de forma fomentar habilidades e competências geradoras de “novas” atitudes e comportamentos saudáveis e construtivos. Identificados os factores de risco e os factores de protecção será possível desenvolver um trabalho consistente e progressivo, quer no tempo, quer junto das nossas comunidades, facilitando a comunicação, e a sua aplicabilidade no “terreno”, envolvendo investigadores, profissionais e a própria sociedade, incluindo os jovens.

Dopagem de bebidas


Empresários da noite alertam para o risco da dopagem de bebidas
O "drink spiking" consiste na adição de substâncias em bebidas para facilitar roubos ou violações e os empresários da noite do Porto deixam o alerta aos clientes: Há que ter cuidado.
Donos de bares da zona histórica do Porto aconselharam hoje os seus clientes a redobrarem a atenção para o fenómeno do "drink spiking", que consiste na adição de substâncias psicotrópicas em bebidas para facilitar roubos ou violações.
Em comunicado, a Associação de Bares da Zona Histórica do Porto (ABZHP) enumera um conjunto de "mandamentos" que devem ser seguidos pelos frequentadores dos estabelecimentos nocturnos na passagem de ano, altura "propícia a algumas euforias e excessos", que "poderão ter consequências nefastas".
Não abandonar o copo em circunstância alguma e não aceitar oferta de bebidas por estranhos, sem verificar quem as serviu, são dois dos "mandamentos" enunciados.
Entre outras recomendações, a ABZHP aconselha também a ter cuidado com os "shots", que "devem ser misturados à frente do cliente e nunca compostos em garrafas sem qualquer tipo de identificação".
Em caso de indisposição, após a ingestão de uma bebida, a ABZHP aconselha a que "não se hesite em chamar uma pessoa de confiança ou um responsável do bar/discoteca" e em recorrer aos hospitais.
As substâncias usadas no "drink spiking" são geralmente inodoras, incolores e insípidas, pelo que as vítimas não as detectam.
Entre os dopantes mais utilizados para o efeito contam-se os sedativos, a droga sintética "ecstasy", o LSD, os antidepressivos e os relaxantes musculares.
A um conjunto de 13 mandamentos directamente relacionados com o "drink spiking", a ABZHP acrescenta um outro alusivo ao consumo de tabaco.
"Evite fumar em espaços proibidos, evite gerar conflitos com os fumadores passivos, evite usar todo e qualquer subterfúgio dentro das áreas proibidas e, já agora, aproveite para deixar de fumar", aconselha a associação.